preloader
 O que muda para cidadãos europeus e italianos com o Brexit?

O que muda para cidadãos europeus e italianos com o Brexit?

Em fevereiro de 2020, falamos sobre o Brexit, e o que a saída do Reino Unido da União Europeia significaria para os Cidadãos Italianos. A Itália, membro da UE, mantinha política de fronteiras abertas com as nações britânicas, situação que muda, definitivamente, a partir de 2021. Isso acontece pois, embora o acordo havia acontecido no ano passado, houve um prazo de um ano, para adaptação aos novos tempos e relações entre o Reino Unido e outros países.

Entre suas muitas mudanças, o Brexit trará, para o Reino Unido, o fim da livre circulação de pessoas vindas de países da UE, a imposição de controles aduaneiros e limitação de serviços que ocorrem em território europeu. Novas regras foram adicionadas em um documento de mais de mil páginas, que incluem também questões como clima, transporte e segurança.

Assim, um Cidadão Italiano terá grandes mudanças em sua ida ao Reino Unido, seja ela em caráter de turismo, ou para trabalhar, estudar ou fazer intercâmbio. Destacamos mudanças importantes das relações entre europeus e britânicos. Lembrando, claro, que como o Reino Unido agora está independente para realizar acordos, nada impede que, no futuro, novos acordos específicos com a UE sejam feitos, ou regras globais do Brexit possam sofrer mudanças.

Mas, por enquanto, o que mudou nesta relação nós destacaremos a seguir.

Agora as estadias são limitadas

Como sabemos, cidadãos da União Europeia tem livre acesso entre os países do bloco, para turismo, trabalho e estudo. E tal relação terá grandes mudanças, pelo menos para quem for, por exemplo, italiano, e for trabalhar no Reino Unido. Para turismo, europeus e britânicos seguirão com “fronteiras livres”. Britânicos poderão ficar no máximo 90 dias em 180 dias consecutivos em países europeus, enquanto europeus poderão passar seis meses no Reino Unido. Além disso, carteiras de motoristas de cada país serão válidas em solo britânico e europeu.

Para estadias longas e motivos de trabalho, agora será necessário um visto, solicitado junto às autoridades britânicas competentes. Além disso, não poderão mais entrar no Reino Unido com sua carteira de identidade a partir de outubro de 2021, a menos que tenham formalizado seu status de residente — neste caso, não haverá alterações até 2025. Os demais terão que apresentar seu passaporte.

Já viagens para tratamento médico, terão permissões prorrogadas, assim como acadêmicos para certos requisitos. Para estes casos, a estadia pode ser ampliada para 11 meses, no caso de tratamento médico, e 12 meses, para acadêmicos. E a assistência médica em viagens de turismo seguem válidas, para britânicos e europeus.

Vistos de trabalho

A partir de agora, europeus que desejam trabalhar no Reino Unido, e isto inclui cidadãos italianos reconhecidos, terão que se inscrever em um programa online para obter um visto. Serão solicitados a apresentar a oferta de trabalho, um nível de inglês considerado suficiente e salário de pelo menos 25.600 libras por ano (atualmente, cerca de 28 mil euros, ou 183 mil reais), além de outros requisitos que vão cumprir um sistema de pontos.

Assim como cidadãos britânicos, que terão que se adequar aos requisitos de imigração do país onde querem trabalhar e se estabelecer. Além disso, algumas profissões não serão mais homologadas automaticamente como antes, por exemplo, arquitetura, medicina ou enfermagem.

Cidadãos europeus que já viviam no Reino Unido ou na União Europeia antes do final de 2020 continuarão com seus direitos garantidos, precisando apenas formalizar o status de residente.

E a Irlanda?

Apesar de fazer parte da ilha, a República da Irlanda foi declarada independente em 1916, e reconhecida em 1922. É claro, vale lembrar que estamos falando da República da Irlanda, e não da Irlanda do Norte, esta sim parte do Reino Unido, e cujas regras mencionadas acima valem para a nação também.

A Irlanda tem regras específicas com o Reino Unido, em termos de viagens, migração e fronteiras, pois possui uma série de acordos com o Reino Unido antes da entrada de ambos na União Europeia. Há, entre eles, a CTA, que traduzindo é a Área Comum de Viagem.

Mas vale lembrar que tais acordos são válidos apenas para cidadãos irlandeses. Italianos e outros cidadãos europeus seguem desfrutando dos acordos dos países da União Europeia, uma vez que a Irlanda segue no bloco. Entretanto, independente de viajar para o Reino Unido de Dublin, ou outra cidade europeia, as regras, para turismo ou trabalho, seguem as mencionadas acima.

Falamos sobre as vantagens de ser cidadão italiano na Irlanda, cujo texto é recomendado a todos que buscam conhecer mais sobre o país e seu funcionamento.

Quer saber mais? Fale com a gente.

Estamos sempre prontos a ouvir a sua dúvida, a sua necessidade, e ajudar. Temos uma equipe sempre pronta a lhe responder, bastando apenas que você preencha o formulário abaixo, ou entre em contato em nossos canais de atendimento.