preloader
 Conheça Viganella, cidade italiana que tem um “sol artificial”

Conheça Viganella, cidade italiana que tem um “sol artificial”

Que a Itália é um lugar único, todo mundo já sabe. Mas você sabia que entre as grandes cidades e pequenos vilarejos do país acontecem coisas muito especiais e únicas? É o caso de Viganella, da região do Piemonte, província do Verbano Cusio Ossola. A região, que tem apenas 204 habitantes, é conhecida por não “ver o sol” por quatro meses.

A razão é bem simples, e compreensível. Todos sabemos que, durante o inverno, é comum os dias “terminarem mais cedo”, uma vez que o céu fica escuro antes do normal. Considere, então, os países do hemisfério norte, que contam com um inverno mais rigoroso, alguns lugares com neve. Em locais como os países nórdicos, ou a região do Alasca, a falta do sol gera até a necessidade de suplementação de vitamina D, por exemplo.

Uma escuridão “natural”

Viganella também sofre dos mesmos problemas com a escuridão, mas por causa de uma “ajuda” da natureza. Apesar de a Itália não ser um dos países mais frios na Europa, a comuna, que hoje se chama Borgomezzavalle, foi edificada entre grandes montanhas. Como resultado, o vilarejo não recebe a luz do sol entre os meses de novembro e fevereiro. E isso virou parte da rotina de seus habitantes por oito séculos.

Com a chegada do século XXI e novas tecnologias, enfim a cidade “ganhou” um sol. Se você assiste a Os Simpsons, deve se lembrar do episódio no qual o Sr. Burns, o magnata da cidade, instala um bloqueador solar, para impedir o sol de atingir Springfield:

Em Viganella, a solução foi parecida, embora com o objetivo contrário: um espelho foi instalado na comuna, para que os raios solares refletissem nele, levando luz para a cidade nos dias escuros. O espelho em questão tem 1.100 metros, e contou com 100 mil euros de investimento. Assim, entre às 9h e 15h, o sol era refletido no espelho, e iluminava sua igreja e seus monumentos, na praça central do vilarejo.

Assim, a cidade é, hoje em dia, um ponto alto de turistas que conhecem a Itália, movidos pela curiosidade de conhecer uma cidade tão “exclusiva”. Especialmente nos dias de inverno, para ver o espelho em funcionamento, e seu “sol artificial”.