preloader
 Conheça as leis mais curiosas da Itália

Conheça as leis mais curiosas da Itália

A Itália nasceu como a nação que é em 1861. E, desde então, sofreu algumas mudanças quanto a leis e lideranças, até chegar na Reppublica Italiana que conhecemos. Neste meio tempo, várias leis foram criadas, das mais necessárias, como a que garante acesso à saúde universal, até leis bem curiosas, como a obrigação de sorrir em Milão.

Assim, você, que busca ser um Cidadão Italiano, pode, e deve, conhecer as leis do país. Além de ser um dever do cidadão, também é bom para conhecer a cultura de seus descendentes. Mas, para conhecer um lado curioso de um país bem interessante, trouxemos algumas leis bem curiosas, algumas até bizarras, para conhecer mais a Itália e sua história.

Lembrando que leis estranhas não são exclusividade dos italianos. No Brasil, por exemplo, na cidade de Rio Claro, já foi “proibido comer melancia” e ter “formigueiro em casa”. E nos Estados Unidos, a lei diz, na Flórida, que um Elefante tem o mesmo valor de um carro, caso usar um parquímetro para estacioná-lo. Além da Lousiana, que tem multa de 5 mil dólares, para quem pedir uma pizza para o vizinho sem consentimento.

As leis curiosas da Itália

A Itália conta com leis bem curiosas. Lá, por exemplo, homens estão proibidos de usar saias na rua, sob pena de prisão. Assim como dar um soco na cara de alguém. Em Lido, Veneza, é proibido construir castelos de areia, enquanto em Eraclea também proíbe levar conchas do mar pra casa. Em Forti Dei Marmi é proibido cortar a grama do jardim aos sábados e domingos.

E nem a capital do país foge das leis. Desde 2005, é proibido manter um peixe dourado como animal de estimação em Roma. Mas, ainda falando de bichinhos de estimação, em Turim é obrigatório passear com seu cãozinho três vezes por dia. Já em Lerici, um costume italiano tem restrição, pois é proibido pendurar toalhas para fora da janela.

Sorrir também é lei. Uma lei muito antiga em Milão obriga seus cidadãos a sorrir constantemente em locais públicos. Estão isentos da regra cidadãos em hospitais e velórios, além de turistas. Mas se sorrir em Milão é lei, em Roma é proibido sorrir, ou melhor, se reunir em grupos de três pessoas ou mais cantando, dançando, comendo ou bebendo nas ruas.

O distanciamento social acontecia já antes da situação do coronavírus, pelo menos em Rovato. Lá, os não-cristãos precisam ficar distantes das igrejas, pelo mínimo de 20 metros. E no norte do país, uma comuna baixou um decreto que exige que todos os cachorros passem por um exame de DNA, para identificar os donos que deixam seus bichinhos fazerem suas necessidades nas ruas.

Mas a melhor de todas as leis está em Falciano del Massico. Para “resolver” um problema com os cemitérios cheios da cidade, seu prefeito aprovou uma lei que proíbe seus cidadãos de morrer. O problema é que algumas pessoas “descumpriram” o decreto. Em 2016, foi a vez de Sellia decretar a mesma coisa.