preloader
 25 de abril: O importante papel do Brasil na Libertação da Itália

25 de abril: O importante papel do Brasil na Libertação da Itália

Em 16 de setembro de 1944, o Brasil declarou guerra à Alemanha e, assim, iniciou sua participação na Segunda Guerra Mundial. O conflito, que se estendia desde setembro de 1939, reuniu todas as potências daqueles dias e atingiu, direta e indiretamente, praticamente todos os países do mundo.

Como o Brasil não estava em conflito direto, com exceção dos mares do país que foram defendidos de ataques de submarinos nazistas, foram enviados para campanha na Itália cerca de 25 mil soldados, para apoiar os Estados Unidos e os Aliados na libertação da Itália. País que, além de contar com tropas nazistas no local, também vivia os dias do Fascismo, comandado por Benito Mussolini. Com tropas Aliadas na luta pela libertação total do país.

No dia 25 de abril a Itália celebra o Dia da Libertação. Sendo um dos feriados mais importantes do país, é celebrado o fim do sofrimento trazido ao país devido às políticas nazifascistas. E, em meio a homenagens e reflexão, os soldados brasileiros que lá lutaram sempre recebem tributos por sua luta em solo estrangeiro. Estreitando ainda mais os laços entre dois países que contam com uma amizade centenária.

Participação brasileira na campanha da Itália

De maneira resumida, o Brasil declarou guerra à Alemanha Nazista e a Itália Fascista em 1942, após ataques de submarinos alemães na costa brasileira, derrubando navios e matando centenas de pessoas, incluindo crianças. Em 1943, foi criada a Força Expedicionária Brasileira, a FEB e, em 1944, os militares brasileiros, conhecidos como pracinhas, chegaram à Itália, local onde foram designados ao combate, para lutarem junto com as forças armadas dos EUA.

Após a chegada, em 16 de julho de 1994, a FEB foi incorporada ao Exército dos Estados Unidos, sendo subordinada ao comando dos EUA durante o conflito. No total, nosso país enviou cerca de 25 mil soldados da FEB, além de 42 pilotos de 400 profissionais da FAB, a Força Aérea Brasileira, também recém-criada.

Naqueles dias, a Itália já estava vencendo a luta contra o Fascismo. Os Aliados, com batalhões dos EUA, Canadá e Reino Unido, avançavam do sul ao norte, libertando as cidades, com apoio da Resistência Italiana. Os soldados brasileiros supriram a falta de várias companhias aliadas, que foram movidas da Itália para a França, para a Operação Dragão, que foi a invasão aliada pelo sul do país.

Soldados brasileiros já em campanha na Itália

Já em solo italiano, os brasileiros participaram de combates importantes. Assim, tomaram, em setembro de 1944, Massarosa, Camaiore e Monte Prano. E, em 1945, também participaram de forma importante na conquista de locais essenciais para a campanha Aliada, como Monte Castelo, Castelnuovo e Montese.

Os brasileiros, não acostumados com o frio intenso dos montes Apeninos, e também não acostumados com a guerra tiveram dificuldades. Mas apesar disso, participaram de momentos importantes. Como a rendição da 148ª DI, quando os soldados brasileiros renderam mais de quase 20 mil soldados inimigos, ficando também com cavalos, carros e munição.

Libertação da Itália: A gratidão que dura até hoje

Entre os 25 mil brasileiros que foram até a Itália lutar na guerra, 454 soldados morreram na campanha. Seus corpos foram enterrados no cemitério de Pistoia, até 1960. Mas um acordo entre os países garantiu que os restos mortais destes soldados fossem transferidos ao Rio de Janeiro. Onde descansam no Monumento Nacional dos Mortos na Segunda Guerra Mundial.

Homenagens aos soldados brasileiros mortos em Pistoia – Foto: Exército Brasileiro

Mas até hoje, os italianos, especialmente nos locais onde ocorreram os conflitos com participação brasileira, celebram a FEB e seus soldados, em eventos e homenagens. Montese, por exemplo, oferece uma sala em seu museu para os pracinhas, com informações sobre os eventos ocorridos ali. Em Pistoia, local onde os soldados brasileiros mortos foram enterrados, ocorre todos os anos, em novembro, uma homenagem cívico-militar a todos os pracinhas brasileiros.

Assim, no mesmo dia 25 de abril da Libertação da Itália, os brasileiros também recebem homenagens em vários pontos do país. Monumentos e dedicatórias são facilmente encontrados por um povo que faz questão de celebrar sua gratidão aos esforços brasileiros no país.